O ano em que ganhei o NaNoWriMo

Este post está terrivelmente atrasado. Para ser mais exato, oitenta e dois dias atrasado. O NaNoWriMo, como você deveria saber, ocorre em novembro. Acontece que este blog é atualizado quando bem entendo, então esses oitenta dias não querem dizer muita coisa. Acho.

Ano passado consegui enfim ganhar o NaNoWriMo. Com “ganhar” quero dizer que consegui completar a peripécia de escrever um livro de no mínimo 50000 palavras durante o mês de novembro. Pois é, eu consegui, e não só consegui, como também ultrapassei essa meta em 110 palavras. Uau. 50110 palavras (de acordo com o Scrivener, já que o contador do NaNoWriMo contou 1707 palavras a mais). Hold on to your hat, Tio Martin! Continuar lendo

Anúncios

Ode à rotina

Acordar cedo. Ir pra faculdade. Pegar o busão. Engolir o almoço. Pegar o busão. Trabalhar. Pegar o busão. Engolir a janta. Dormir cedo. E fazer tudo de novo no dia seguinte.

Vejo as pessoas vivendo uma rotina o tempo todo, vejo suas expressões entediadas, contidas, seus rostos suados e roupas apagadas. Acordando cedo. Estudando. Trabalhando. Dormindo pouco. E fazendo tudo de novo no dia seguinte.

Elas vivem para trabalhar ou trabalham para viver? Ou nada disso? Continuar lendo

O Final do Fim: Entre a corda e o gancho

Era uma ensolarada manhã de domingo. Se você perguntar a um grupo de pessoas sobre o que acontece geralmente em manhãs de domingo, tenho certeza de que elas responderão “nada”. E eles não estão de todo errados, não. Se você conseguir citar cinco acontecimentos de grande importância que tiveram lugar em domingos, meus parabéns. Sua vida é de uma agitação nunca antes vista pela história da humanidade.

É claro que nessa manhã de domingo particular as coisas não foram tão paradas assim. Se elas tivessem sido, aliás, seria meio inútil você estar lendo esta história. Por que você gostaria de ler algo em que nada acontece? Garanto a você, querido leitor, que a história que estou prestes a contar não é nada tranquila. Aproveito que toquei nesse assunto e já vou logo avisando que por aqui não há a chance de finais felizes. Peço desculpas se já te decepcionei logo de cara, mas a vida é assim: uma sucessão de boas e más histórias. Acredito que esteja saindo do foco. Deixe-me continuar a narrativa. Continuar lendo

Sobre procrastinar…

Procrastinar. Essa palavrinha bonita e, para alguns, difícil de se pronunciar, vem sendo um dos meus maiores problemas desde que aprendi a pronunciá-la, há uns bons anos. Ela me acompanha sempre quando tenho algo de certa importância para fazer, independentemente do meu objetivo para tal coisa.

Você sabe o que ela significa, e se não sabe, vou logo lhe explicando: sabe quando você tem um trabalho muito importante para entregar na escola, faculdade ou sei lá o quê e, ele tendo uma data de entrega longínqua, você enrola, enrola, enrola um pouco mais e só decide o fazer na véspera? Bem, meu amigo, isso é procrastinar. E, como disse, eu passo a maior parte do tempo tentando combater esta palavrinha. Nem sempre consigo. Continuar lendo

Resenha: O Chamado do Cuco, de Robert Galbraith (J. K. Rowling)

NÃO SE PREOCUPE! ESSA RESENHA É SEM SPOILERS! LEIA TRANQUILO.

Capa do LivroO Chamado do Cuco

Autor: Robert Galbraith (pseudônimo de J. K. Rowling)

Título Original: The Cuckoo’s Calling

Ano de Publicação: 2013

Editora: Rocco

Nº de páginas: 448 Continuar lendo

Diário de Escrita #13: 365 dias depois…

Como é bom escrever para este blog de novo. Caramba, tô desde julho do ano passado sem nem dar um oi pra vocês. Me desculpem. Se é que alguém ainda lê isso.

Resolvi voltar a escrever pro meu blog por um motivo muito nobre: hoje, dia 09 de janeiro de 2014, completam-se 365 dias desde que comecei a escrever o meu lindo livro! Eu realmente não acredito que tanto tempo se passou assim. Parece que foi ontem que eu estava revirando o meu armário em busca dos meus roteiros antigos apenas para tirar algumas fotos, explicar pra vocês a minha paixão por escrita e apresentá-los ao primeiro capítulo de minha incrível história de ficção científica repleta de plot twists, tiroteio, sangue, gente morrendo, gente feliz, gente chateada, etc.

Fico feliz que tenha conseguido levar adiante um projeto tão grande quanto um livro por tanto tempo. Pensei em desistir da história no meio do caminho por várias vezes, mas ainda bem que mantive a cabeça no lugar e não fiz essa baboseira. Vá por mim, a história tá ficando boa! Continuar lendo

Resenha: Sob a Redoma, de Stephen King

NÃO SE PREOCUPE! ESSA RESENHA É SEM SPOILERS! LEIA TRANQUILO.

FINALMENTE. Finalmente deixei a preguiça de lado e resolvi tirar “do papel” uma das minhas ideias eternas: escrever resenhas! YAY! Mas vamos deixar de enrolação porque aposto que tem visitante novo lendo isso daqui. Oi, visitante novo, como vai a família?

Hoje falarei sobre o incrível, sensacional e gigantesco Sob a Redoma, do grande Stephen King. Antes de começar, porém, vou deixar aqui embaixo uma ficha técnica básica do livro pra vocês saberem do que tô falando.

Capa do Livro Sob a RedomaSob a Redoma

Autor: Stephen King

Título original: Under The Dome

Ano de publicação: 2009 (EUA); 2012 (Brasil)

Editora: Suma das Letras

Nº de páginas: 960

Continuar lendo

E aí o PC deu problema (de novo).

Antes de começar, uma coisa: hoje o blog completa dois anos de existência!!! Obrigado a todos que me acompanham desde 2011, amo todos vocês, vocês são lindos, beijo me liga, etc.

Eu acho que atraio problemas para o meu computador. Quantas vezes já reclamei dele tanto aqui no blog quanto no Twitter? Aproximadamente 201130593 vezes.

A grande coisa que aconteceu desta vez foi relacionada à minha placa-mãe (ou placa mãe?). Vou explicar tudinho daquele meu jeito característico de sempre com aqueles exageros e coisas aleatórias que vocês tanto amam, então se acomoda, pega um balde de pipocas temperadas com manteiga e sazon (sim, é bom) e vamos lá. Continuar lendo

PÁ: Novo tema nessa bagaça!

Depois de cinquenta milhões de anos, finalmente resolvi “alterar a arrumação da casa” e aqui está o grande Apple Boyster versão 3.0 (ainda não entendi exatamente o porquê o nome do meu blog é esse. Vivem me perguntando isso e eu não sei a resposta. Acho que se o nome fosse “Gabriel e seus posts aleatórios” seria mais legal)!

Agora, o meu super blogzão está com um visual muito mais clean, o que ajuda na hora de carregar a página e até mesmo pra você se concentrar apenas no ótimo conteúdo. Até atualizei a versão para celulares, smartphones e similares! Olha só:

oi gata, qr tc?

Eis uma linda screenshot da versão ~mobile~ do brógui.

Continuar lendo

Diário de Escrita #11: Haha, eu sou um gênio (só que não)

Depois de mais de uma semana sem nenhum tão aguardado Diário de Escrita, aqui estou!

Deixa eu te explicar o que houve para eu abandonar meu blog assim (entenda que agora meu blog é atualizado mais frequentemente, graças ao meu super livro). Pega um pote de pipocas e um guaraná e leia este lindo post (eu juro que ia escrever “poste”) junto comigo. Não, pera.

Tudo começou com um relógio esquisito/grudou no pulso dele vindo lá do infinito/(…)/É O BEN 10! BEN 10! OMG! quando eu enrolei UMA SEMANA E TRÊS DIAS pra escrever o capítulo VII do livro. Na verdade, eu até escrevi umas mil e poucas palavras. Eu disse que era pra tu sentar? Opa, quem usa o computador em pé? HUEHEUEHEUHEUEHE

Continuar lendo