Ode à rotina

Acordar cedo. Ir pra faculdade. Pegar o busão. Engolir o almoço. Pegar o busão. Trabalhar. Pegar o busão. Engolir a janta. Dormir cedo. E fazer tudo de novo no dia seguinte.

Vejo as pessoas vivendo uma rotina o tempo todo, vejo suas expressões entediadas, contidas, seus rostos suados e roupas apagadas. Acordando cedo. Estudando. Trabalhando. Dormindo pouco. E fazendo tudo de novo no dia seguinte.

Elas vivem para trabalhar ou trabalham para viver? Ou nada disso?

Hoje vi um homem vestindo uma camisa interessante. “Live, Work, Create”, com o “Work” riscado mesmo. As pessoas têm um grave problema com o trabalho.

Não defendo o trabalho. Não o contrario, é diferente. Ele faz bem pra gente. Nos faz aprender coisas novas todos os dias, por mais inúteis que sejam. Outro dia estava no trabalho quando ouvi uma palavra nova: “croqui”. Sim, não sabia o que era esse bendito “croqui”, nunca tinha ouvido aquela palavra. Esboço, sim; croqui, não. Uma semana depois, quando enfim comecei a faculdade de Design Gráfico, me deparei com aquela palavra de novo. E só entendi o contexto porque havia aprendido seu significado pouco tempo antes. Trabalhando.

Não defendo o trabalho, mas temos de começar de algum lugar. O que não dá é ficar parado num só lugar a vida toda. Deve ser por isso que tenho pavor de serviço público, mesmo pagando bem. Mesmo me sentindo confortável com a rotina, ela é passageira. Talvez as pessoas têm um grave problema com o trabalho porque não trabalham com o que gostam.

Eu sou designer há um tempo. Só no fim do mês passado que arranjei um estágio na área, numa assessoria de imprensa. É extremamente corrido, tenho de produzir um flyer após o outro para diversos clientes, um mais irritante que o outro. Atualizo o arquivo trocentas vezes com centenas de alterações. É cansativo e às vezes estressante, mas nem vejo a hora passar. Não era Einstein que dizia que a nossa percepção do tempo muda de acordo com o que estamos fazendo?

As pessoas adoram reclamar da rotina, mas não percebem que ela faz bem. Meu estágio pode não ser ainda aquilo que quero pra minha vida, mas está sendo uma experiência enriquecedora. Trabalhar com deadlines, estar sempre alterando flyers e mais flyers… Isso muda a sua vida. Qualquer coisa nesse mundo tem o poder de nos mudar. Sei que daqui um tempo serei alguém muito melhor por causa do tempo que gastei trabalhando, ou sacolejando no ônibus. As experiências nos enriquecem. Todas elas, boas ou más.

Talvez você não esteja trabalhando com o que gosta. Eu entendo. Não acho que realmente temos o controle de nossas vidas. É o meio exterior que nos molda de acordo com a necessidade. Às vezes precisamos abrir mão do que gostamos para pagarmos uma conta no fim do mês, mas nunca pare de tentar. Agarre a rotina com as duas mãos e aproveite. “Siga o fluxo”. Uma hora você terá condições de seguir em frente, só não tenha medo de fazê-lo quando chegar a hora. Agarre a rotina, mas deixe-a ir quando preciso. Troque-a. A rotina não é imutável. Nada é.

E este não é um post de auto-ajuda. Nem uma ode.

Anúncios

2 comentários sobre “Ode à rotina

  1. Bem vindo a vida adulta biel, fico muito feliz que você esteja trabalhando com algo que ama, isso faz seus dias produtivos, faz as horas voarem e o mais importante: Faz você feliz. 😀

Gostou do que leu? Comente!

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s