O NaNoWriMo e como eu não tô nada preparado para novembro…

Chegamos a outubro.

Outubro é um daqueles meses malucos em que os dias parecem passar mais rapidamente do que podemos acompanhar. São tantas coisas acontecendo ao mesmo tempo em nossas vidas, já que o ano se aproxima do fim, que vinte e quatro horas por dia não são mais o suficiente. O pior é quando você é um maluco que possivelmente não tem nada melhor para fazer e resolve entrar, por livre e espontânea vontade, em uma empreitada tão surreal que é praticamente um atestado de loucura, e que lhe faz passar todo o mês de outubro sofrendo, planejando e praticamente agonizando para arranjar ideias: resolvi participar do NaNoWriMo.

NaNoWriMoPra quem não sabe, o National Novel Writing Month é uma maluquice que acontece anualmente, durante o mês de novembro, e que basicamente se resume a um bando de escritores (ou aspirantes, como este que vos escreve), espalhados pelo mundo inteiro, que resolvem aceitar o desafio de escrever (ou ao menos começarum romance novo (não se deve continuar a escrever uma história previamente iniciada) de no mínimo 50000 palavras em apenas 30 dias.

E o que se ganha ao escrever cinquenta mil palavras em apenas um mês? Um primeiro rascunho de um livro que pode ou não se tornar realidade no futuro e que até agora possui cinquenta mil palavras desconexas e com pouco sentido. Em outras palavras, o prêmio do NaNoWriMo é a disciplina que você ganha ao escrever durante novembro, todos os dias, cinquenta mil palavras de uma história de sua autoria e que provavelmente se parece com uma pilha de bosta encostada no canto escuro de um cômodo abandonado. Bem animador, hein?

Mas deixando de lado os exageros e as pilhas de bosta, o principal lema do NaNoWriMo é apenas escreva”. Não se importe com a qualidade, desative por um tempo o editor babaca que você tem na cabeça e se comprometa apenas a colocar aquelas cinquenta mil palavras no papel, tela ou seja lá onde você escreve. O desafio aqui é ter disciplina para escrever todos os dias. É realmente sentar a sua bunda gorda na cadeira e escrever linhas e mais linhas de completa baboseira até sair de lá algo que possa prestar num futuro hipotético. É adquirir o hábito da escrita, que é fundamental para qualquer um que sonhe em ser um escritor (eu! eu! eu!).

Vocês devem se lembrar que eu tô escrevendo um livro desde janeiro do ano passado. O problema é que praticamente abandonei a escrita do meu livrinho porque não havia planejado absolutamente nada para ele e cheguei a um ponto que as inconsistências eram maiores que a história em si, além de, é claro, dar de cara com um muro que passei a chamar carinhosamente de O Maldito Muro da Falta de Inspiração e/ou Vontade de Escrever, também conhecido como O Temível Bloqueio Criativo. Um dos principais fatores que me fizeram abandonar (TEMPORARIAMENTE, NÃO VOU ABANDONAR DE FATO AQUELA HISTÓRIA, QUE FIQUE BEM CLARO) o livro foi a perda do hábito de escrever. Eu tava todo animadão nos primeiros dias, mas depois comecei a procrastinar e procrastinar, pensando “ah, vou dar só uma olhadinha no Facebook, escrevo mais tarde”… Quando vi, já haviam se passado alguns meses desde a última linha escrita e eu já havia perdido completamente o fio da meada.

Daí resolvi que neste ano participaria pela primeira vez do NaNoWriMo. Conhecia a “competição” desde que adentrei de verdade nesse “mundo da escrita” e passei a conhecer diversos blogs sobre a gloriosa arte de se encarar uma tela ou papel em branco por trinta horas até sair algo minimamente tragável da escrita, e sempre achei fascinante a ideia do projeto. Na semana passada, então, levantei-me da cadeira, fui em direção a um espelho aqui de casa, olhei fundo em meus olhos e falei em voz alta, tal como um maluco, enquanto apontava calorosamente para meu reflexo no espelho: É SUA HORA DE BRILHAR.

Mentira, nada disso aconteceu. Eu só decidi participar do NaNoWriMo pra ver se eu conseguia ter alguma disciplina nessa minha v1d4 l0k4.

E foi a partir dessa minha decisão maluca que comecei a pensar num plot qualquer para exercer as minhas fenomenais habilidades de escrita: iria escrever uma hsitória que incitaria complexas reflexões, uma coisa brilhante e sensacional que certamente seria adaptada para os cinemas e transformada na próxima febre adolescente, enchi um caderninho com ideias sobre o universo em que a história se passaria, desenhei mapas e esquemas detalhados, criei linhas do tempo e defini apuradas perspectivas sobre a situação social e econômica do povo que planejava criar…

Até que passei a odiar tudo o que havia pensado até então.

Simplesmente acordei hoje, dei uma milésima olhadela no que planejara durante a semana passada, e achei tudo aquilo uma pilha de bosta de tamanho respeitável. Comecei a questionar as minhas habilidades e o motivo pelo qual só sei escrever histórias que se passam em uma sociedade totalitária num futuro pós-apocalíptico e terrível.

E agora, faltando menos de um mês para o início de novembro, tô ficando completamente desesperado, sem saber o que diabos vou escrever para o NaNoWriMo. Pensei em escrever fantasia, já que é um gênero que até hoje não explorei, mas minhas referências são tão poucas que certamente escreveria mais e mais pilhas de bosta até me frustrar e pular pela janela do meu quarto (o que não me causaria mal algum, já que minha janela fica a pouco mais de um metro do chão). Pensei em escrever sobre elfos, porque já tem algum tempo que tive a ideia um título bacana de uma história em minha cabeça que os envolve, mas o meu conceito de elfos é completamente deturpado, horrível, e se resume ao seguinte mapa mental que tentei fazer ainda agora:

elfos

Elfos parecem ser legais, mesmo. (Clique pra ficar grandão!)

Enfim, é por isso que falei lá no início deste texto que outubro é um mês complicado e que sou um completo maluco por resolver participar de algo que muito provavelmente falharei miseravelmente e que preencherá este mês e o próximo com más ideias e diversas horas em frente a uma tela em branco.

Talvez eu volte a amar aquele plot sensacional amanhã.

Talvez ele não se pareça tanto com uma pilha de bosta amanhã.

Por favor, Universo. Colabora comigo, vai? Eu sou um cara legal.

Anúncios

5 comentários sobre “O NaNoWriMo e como eu não tô nada preparado para novembro…

  1. Cara, mais um hunger games wannabe não vai ser problema. Tem tantos por aí fazendo sucesso e, afinal, é só “uma pilha de bosta” que talvez um dia será transformada em livro, terá adaptações no cinema e sua ultima parte será dividida em dois filmes.
    Vai fundo lesk

  2. Pfvr Gabriel, as histórias do John Green são sempre iguais (melosas com um final dramático que faz todos chorarem e acharem a melhor coisa já inventada) e ainda não desistiu haha

    Força aí, quero ainda a minha cópia autografada desse livro. Só espero não estar idoso sem nem enxergar mais quando ele for lançado 🙂 (pq tá demorando hein pqp)

Gostou do que leu? Comente!

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s