O Fim do Orkut

Sabe, eu sempre fui um chato com o Orkut. Na verdade sempre possuí essa relação de love-hate com a primeira rede social que realmente se popularizou mundo afora.

Durante os cinco ou seis anos que usei o Orkut assiduamente, era um típico utilizador. Sim, do nível “Leio, Respondo e Apago”, mesmo. Postava milhares de fotos minhas em diversos álbuns clássicos como “Família”, ” Fériaaaaass!!!” e “Meu Aniversário 2006”. Mandava altos depôs e coisas assim. Cheguei até a criar algumas comunidades sobre carros e, é claro, a clássica “Eu amo minha mãe”. 

Aí chegou a minha adolescência, e todo mundo sabe como adolescentes são chatos (tem dias que eu próprio não me aguento). Comecei a achar tudo uma bosta e o Orkut foi um dos primeiros a sentirem o peso da chamada “crítica-extremamente-bem-elaborada-e-com-princípios-inabaláveis-adolescente”. Passei a ser um haterzinho do Orkut: reclamava de como as pessoas utilizavam a rede social, como ela funcionava e outras inúmeras críticas sem fundamento. O típico mimimi adolescente.

Essa foi mais ou menos a época que criei o blog, aliás. Quem me acompanha desde o início deve se lembrar de posts e mais posts criticando as vidas alheias e até mesmo o Orkut.

Se meu eu do passado estivesse ainda presente neste que vos fala (eu mudei muito de lá pra cá, por incrível que pareça), estaria dando pulinhos de alegria ao saber que hoje, 30 de setembro, é o dia de dar adeus ao OrkutAu revoir.

Decidi escrever este texto só pra admitir que sim, o Orkut foi bom enquanto durou. É claro que algumas daquelas reclamações idiotas que fazia no passado ainda valem (ao menos para mim) até hoje, como o exemplo de algumas pessoas praticamente destruírem o funcionamento do site com tanto glitter aplicado em scraps, mas e daí? Olhando em retrospecto, admito que sinto falta dessa época. Acredito que a popularização do Orkut tenha sido um dos principais catalisadores para que o espírito HUEHUEHUE BRBR seja o que é hoje. É o precursor de uma popularização inesperada da Internet no Brasil. E todos temos de agradecê-lo por isso.

depo

❤ vcs

É engraçado como a gente muda. Há três anos atrás era o maior hater do Orkut. Hoje, olho para a rede social com nostalgia. Se não fosse o Orkut, duvido muito que o bom humor que a Internet brasileira possui hoje em dia existiria. E falo isso de verdade, como uma pessoa que percebeu o quão babaquinha era uns anos atrás e agora tenta se redimir em um post um tanto estranho.

Obrigado pelos dez anos de glitter e depoimentos animados, Orkut. Descanse em paz – tE cOnSiDeRo PaKaS. E se a sua estrela não brilha como a minha, não tente apagá-la com sua inveja.

Ok, chega.

Anúncios

2 comentários sobre “O Fim do Orkut

  1. O que dizer desse [blue]Biel[blue] que nunca ví pessoalmente mais já [i]considero pakas…[i]
    Garoto guerreiro, lutador, uma pessoa [b]inigualável! [b]

    [:)] [:P] [:)] [:)] [:P] [:)] [:)] [:P] [:)] [:)] [:P] [:)] [:)] [:P] [:)] [:)] [:P]

Gostou do que leu? Comente!

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s