E então eu voltei a escrever…

Oi, povo. Estou de volta pra falar umas coisinhas legais procês.

Eu sempre gostei de escrever. É por isso que tenho este blog, DÃ! Quando tinha uns 10 anos, o meu passatempo preferido na frente do PC era ficar escrevendo “roteiros” de “filmes” no Word. Acredito que este era o programa que eu mais utilizava na época, aliás. Eu criava várias historinhas e as desenvolvia num formato de filme. Na época, eu era louco pela saga de filmes “Missão Impossível”. Cheguei a esperar na porta da locadora lá perto de casa pelo lançamento em DVD do “Missão Impossível: 3”, pra você ter uma ideia. Fiquei tão ansioso que chorei pro meu pai me levar até lá. Pois é.

Com essa minha fascinação por filmes de agentes secretos e tudo mais, decidi escrever o meu próprio “filme”. Nascia então “Os Espiões”, o primeiro “grande” feito com o selo de Conteúdo Original Gabriel Silva™. E os “atores”? Meus melhores amigos da escola na época, cada um com seu papel específico no desenrolar da história.

Eis o pioneiro a receber o Selo de "Conteúdo Original Gabriel Silva™"! (Clique para ampliar)

Eis o pioneiro a receber o Selo de “Conteúdo Original Gabriel Silva™”! (Clique para ampliar)

Estava relendo algumas partes deste meu primeiro texto e tive de me segurar pra não soltar algumas lágrimas. É uma história tão boba, tão infantil, mas mostrava que eu realmente gostava de escrever, e que provavelmente levaria isso para o resto da vida. Na imagem acima vocês puderam ver os vários erros de ortografia e até mesmo de digitação que haviam no roteiro, além da letra horrível que possuía na época. Lembro que este roteiro era uma espécie de “segunda versão” de “Os Espiões”. A primeira versão havia sido escrita à mão, e tinha dado umas 60 páginas (sem brincadeira). É de se admirar que consegui entender meus garranchos e pude eternizar meu primeiro roteiro com a magia do Word.

E eu não escrevi apenas este “roteiro”. Houveram vários outros, como a super “trilogia” de “Estacionamento do Terror” (cada roteiro com umas duas, três páginas), onde uma família ficava presa dentro de um estacionamento subterrâneo de um supermercado, durante um apagão (engraçado que essa história teve lá seus “fatos reais”: tive a “inspiração” durante um apagão que aconteceu enquanto eu e minha família entrávamos num supermercado). Além dessa trilogia, escrevi outro também, chamado de “O Código Sem Fim”. Não me lembro muito do assunto que se tratava esse último, mas acredito que tinha algo a ver com hackeamentos de sistemas ou algo do tipo. Infelizmente os perdi (tanto a trilogia “Estacionamento do Terror” quanto “O Código Sem Fim”), então não estão aqui em casa, pertin’.

Porém, eu escrevi outros dois “filmes”, praticamente na mesma época (entre 2006-2007). Um é o “Line 20”, uma super-bem-elaborada história (só que não) sobre um trem que sai dos trilhos e quase cai de um penhasco (eita garotinho dramático, hein?). Aqui uma fotinha dele também:

"Line 20", uma linda história de gente caindo de penhascos.

“Line 20”, uma linda história de gente caindo de penhascos.

E o outro foi o grande “Emboscada”, certamente o meu “melhor” (na medida do possível) roteiro. A história era um pouco maior e mais elaborada, sobre vários empecilhos que uma família encontra após ganhar na loteria. Tem um momento muito engraçado e non-sense (olha só as ideias do pequeno Gabriel) desta história que vou deixar registrado procês rirem de mim (perdoem-me os erros ortográficos, simplesmente copiei o texto integralmente):

E agora a LotoBudSee! (Plano americano.)

Joe (o personagem principal da “trama”) – Hoje eu ganho! (Plano americano.)

Os números são: 10, 14, 18, 25, 30, 45 e 90 quem tem esses números acaba de ganhar 100.000.000 de reais!

(Plano americano.)

Joe- Eu não acredito, ganhei! (Plano americano.)

***

‘no dia seguinte’

Joe- Acordem todos, vamos ao banco tirar nossos milhões! (Plano americano.)

***

‘No banco’

(Joe entra, e vai no caixa eletrônico e tira os 100 milhões.)

Onde está o erro mirabolante? COMO DIABOS UMA PESSOA CHEGA SIMPLESMENTE NUM BANCO QUALQUER E TIRA R$ 100 MILHÕESPalmas para o pequeno Gabriel.

Ah, esses vários “Planos Americanos” significam a posição que a câmera deveria ficar no “filme”. Se quiser entender mais sobre isso, toma um artigo da Wikipédia.

Aqui a foto do super roteiro de “Emboscada”:

"Emboscada", de longe o "melhor" de todos os roteiros! (Clique para ampliar)

“Emboscada”, de longe o “melhor” de todos os roteiros! (Clique para ampliar)

Sério, acredito que se fizesse um reboot dos meus “filmes”, assumindo um lado mais sombrio, conseguiria alguns milhões que poderia retirá-los num simples caixa eletrônico, certo?

Nunca pensei que mostraria esse meu lado “Steven Spielberg” pra alguém fora da minha família, mas a Internet tá aí pra isso, certo?

Agora que expliquei procês minha paixão pela escrita, bora entrar no assunto principal deste post.

Depois de 6 anos sem escrever nada, ontem me deu uma vontade danada de escrever um livro. Deve ser porque ando lendo muito nos últimos meses. Então cheguei no meu PC, abri o Word e fiquei encarando aquele “papel virtual” em branco por alguns minutos, até que comecei a escrever a primeira coisa que passou pela minha mente. E não é que ficou interessante?

Escrevi o primeiro parágrafo, parei e fiquei lá, olhando pra ele. Pensei “poxa, eu já consegui escrever roteiros quando tinha 10 anos, o que me impede de desenvolver uma história em cima disso? Eu já estou mais amadurecido, então acredito que conseguiria fazer algo razoável”, e continuei escrevendo. Quando me dei conta, já eram quase duas da manhã e eu havia escrito um capítulo inteiro

Não sei se terminarei de escrever este meu primeiro “livro”, ou se o abandonarei no meio do caminho. Mas hoje eu tracei uma “linha mestra”, o que  é basicamente um acúmulo de ideias e possíveis desenvolvimentos para a história de um livro, e comecei o capítulo dois. Eu realmente quero continuar a desenvolver esta história, e quem sabe um dia eu não me torne um escritor? Vários dos principais escritores que existem por aí começaram os primeiros esboços de seus livros de estreia com mais ou menos a minha idade. Quem sabe?

Então quero mostrar a vocês, queridos leitores, o início do meu trabalho. Não tenho a história completamente formada em minha cabeça, mas tudo indica que estou escrevendo uma distopia com elementos de ficção científica. É uma maluquice minha que usa universos paralelos e outras doideiras, mas eu li e reli o primeiro capítulo umas 200 vezes e acho que tá ficando legal. Aqui o primeiro parágrafo, pros curiosos:

Estou rodeado de paredes brancas e livres de qualquer decoração. Nem mesmo portas existem por aqui, o que só aumenta minha ansiedade. “Como eu consegui entrar aqui?”, me pergunto. Então, percebo algo maior: “Por que eu estou aqui, antes de tudo?”. Eu não consigo me lembrar de nada do meu passado. Só sei de uma coisa: meu nome é Michael. Não me lembro de meu sobrenome, não importa o esforço que faça. Não me lembro de minha família – se é que eu já tive alguma. Não sei quem sou, o que fiz, e o mais importante: como eu vim parar aqui.

Coincidentemente, o nome do protagonista desta minha nova história também é “Michael”, assim como o roteiro d’Os Espiões.

E estou disponibilizando para vocês, for free, o primeiro capítulo completo do meu primeiro livro, ainda sem um título definido. Tudo o que você tem que fazer é clicar neste link e pronto, você pode ler diretamente do seu navegador. Mais fácil, impossível.

O que quero que você faça é dizer para mim, com toda a sinceridade do mundo, o que você achou deste primeiro capítulo, aí nos comentários. Realmente quero “tocar” este projeto, e preciso de um feedback de vocês! 🙂

Por hoje é só, povo. Se eu continuar a escrever este livro, provavelmente soltarei algumas informações sobre o mesmo e falarei do meu “árduo” trabalho durante minha jornada aqui no blog. Fiquem ligados!

Anúncios

11 comentários sobre “E então eu voltei a escrever…

  1. Gostei muito do 1° capitulo, tanto os personagens quanto a ambientação estão muito bem construidos! Deixam o leitor com aquele gostinho de quero mais.
    Pessoalmente fiquei bastante curioso pra saber se Michael e Kath vão conseguir sair daquele “quarto dimensional”.

    • Obrigado! Realmente era essa a intenção, fazer com que o leitor queira ler o restante do livro!

      Haha, sobre o Michael e a Kath saírem daquele cubículo, isso eu não posso dizer! 😉

  2. UAU: adorei a história. Muito suspense e drama num cenário assustador. Realmente espero a continuação, Gabriel. Já tens um leitor garantido 🙂

  3. Amei!!! Mas eu sou suspeita para falar!!! Sempre apostei em você como escritor/roteirista pois um diretor leu seu roteiro e gostou muito. Bom a leitura me prendeu e isso é muito bom num livro, você querer ver logo o desfecho da historia, é sinal que vamos ler o livro bem rápido. Parabéns meu garoto! Tenho orgulho de você e isso não é novidade, não é? bjusssssss

Gostou do que leu? Comente!

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s